LOGIN

Login

Memorizar

       
NEWSLETTER AIM & CTA

Newsletter AIM & CTA

Subscreva-se para ter acesso a Newsletter AIM & CTA.
A+ R A-

Relações Institucionais

  • Visitas: 8915

Relações Institucional é um instrumento responsável em promover a CTA (sector privado) junto às instituições governamentais e com o público em geral. Promovendo a cooperação técnica e de transferência de conhecimento de tecnologias.

É também responsável pelas relações exteriores, isto é, trabalhos referentes à política internacional, no campo da cooperação técnica e transferência de conhecimento e de tecnologia entre o sector privado moçambicano e países interessados em firmar acordos de cooperação, levando em conta a capacidade operativa disponível e as possíveis áreas de actuação no exterior.

Em termos de responsabilidades são:

  • Gerir as relações entre a CTA e os seus parceiros institucionais;
  • Organizar os encontros periódicos do CEN;
  • Manter contactos profissionais periódicos com as empresas membros do CEN;
  • Organizar as missões empresariais nacionais e internacionais;

Unidade do Desenvolvimento Associativo e Relações Institucionais - UDARI

  • Visitas: 21282

Uma das missões da CTA é a promoção de medidas que impulsionam o crescimento de um movimento associativo empresarial cada vez mais forte, participativo, socialmente responsável e capaz de influenciar a tomada de decisões.


O Departamento de Desenvolvimento Associativo e Relações Institucionais foi criado tendo em vista este desiderato e propõe-se cumprir com quatro objectivos, designadamente:

• Representatividade: fortalecer o movimento associativo empresarial, alargando a sua base de representatividade e a qualidade do seu trabalho;
• Alinhamento: alinhar os interesses dos membros de forma a conseguir consensos na definição de objectivos a atingir a médio e a longo prazo;
• Serviços e Comunicação: oferecer, internamente através de parcerias, serviços que promovam a capacidade de actuação dos membros e informações úteis aos negócios, privilegiando a troca de experiências,
• Capacidade de Autofinanciamento: identificar e consolidar as fontes de receitas que sustentem as operações e desenvolvimento da CTA.

 

 

 

Desenvolvimento associativo

  • Visitas: 22694

Base impulsionadora do crescimento do movimento associativo

Uma das missões da CTA, na sua acção para influenciar a criação de um melhor ambiente de negócios, é a promoção de medidas que impulsionem o crescimento de um movimento associativo forte, participativo, socialmente responsável e capaz de influenciar a tomada de decisões. Esta função é desempenhada pelos serviços de apoio aos membros e relações institucionais que:
Facilita uma comunicação eficiente, eficaz e transparente aos seus membros e aos outros intervenientes;
Apoia os membros no seu crescimento e desenvolvimento;
Garante que o trabalho realizado pela CTA inclua os contributos dos membros e dos intervenientes, para tornar os resultados da CTA mais representativos do Sector Privado;
Faculta informação atempada sobre os tópicos tratados pela CTA e o desenvolvimento do Sector Privado.
Da maneira mais eficiente possível, a CTA construiu uma estrutura de apoio por todo o País de modo poder satisfazer as necessidades dos seus membros.
Para atender algumas necessidades específicas, como a arbitragem comercial, a formação profissional e a luta contra o HIV/Sida nas empresas, a CTA criou três organizações externas.
A CTA conseguiu estabelecer uma rede ampla de relações institucionais e parcerias, a nível nacional e internacional.

OS Membros

Os membros da CTA são as associações de empresas que produzam, distribuam ou vendam produtos ou serviços, bem como as respectivas federações e uniões. 
A CTA tem 66 associações como membros que representam vários sectores de actividade, como por exemplo: transportes, comércio, indústria, aviação civil, hotelaria e turismo, banca, segurança privada, agricultura, farmácias, navegação marítima, publicidade, obras públicas, consultoria, câmbios, estética, etc. No total, estas associações representam cerca de 3500 empresas, com um crescimento constante. Lista dos membros (PDF, 90 KB).

Embora o perfil dos membros seja irregular, nenhuma outra organização em Moçambique se aproxima da base de associações da CTA. O estatuto de membro da CTA – devidamente encorajado e fortalecido – representa, deste modo, um recurso institucional potencialmente poderoso para a reforma do ambiente de negócios e para o desenvolvimento do Sector Privado.

Para o fortalecimento dos membros, projecta-se continuar e acelerar os esforços de maior concentração em Federações Sectoriais, em vez de dispersão da estrutura de associados. Espera-se com este exercício, agrupar todas as associações económicas provinciais de modo a que o Sector Privado ao nível da província esteja representado por uma única voz

Relações Institucionais

  • Visitas: 8473

 

 Participação da CTA a Fóruns e Conselhos de Administração

Assinatura de Memorando de Entendimento entre a CTA e Água de Namaacha - 30.05.2012

Com base na força do seu estatuto de organização e da importância do diálogo sobre a reforma do Sector Privado, a CTA conseguiu estabelecer uma rede ampla de laços institucionais. A rede é parcialmente internacional, mas actua de forma particular em instituições nacionais importantes. 

Este facto confere à CTA o potencial para a entrada e influência do Sector Privado no plano institucional, um bem muito valioso para o diálogo sobre a reforma e que favorece o acompanhamento como forma de garantir uma implementação efectiva. A CTA nomeia representantes do Sector Privado para participar em discussões com o Governo para coordenar processos específicos de regulamentação ou implementação de legislação.

Os representantes actuam nas entidades seguintes:

    • ANE (Administração Nacional de Estradas);
    • CCT (Comissão Consultiva do Trabalho);
    • COREP (Comissão da Reforma da Educação Profissional);
    • FARE (Fundo de Reabilitação);
    • Fundo de Estradas;
    • Fundo de Fomento Mineiro;
    • G20;
    • INATUR (Instituto Nacional do Turismo);
    • INSS (Instituto Nacional de Segurança Social);
    • IPEME (Instituo de Promoção de Pequenas e Médias Empresas);
    • MCA (Millenium Challenge Account);
    • RETOSA (Organização Regional do Turismo da África Austral);
    • UTRESP (Unidade Técnica de Reforma do Sector Público).

A CTA assinou memorandos de entendimento com várias instituições.
Clique aqui para ver. (PDF, 153 KB)