LOGIN

Login

Memorizar

       
NEWSLETTER AIM & CTA

Newsletter AIM & CTA

Subscreva-se para ter acesso a Newsletter AIM & CTA.
A+ R A-

Anuncio de Concurso Publico 006

  • Visitas: 342

CONCURSO PÚBLICO Nº 006/CTA/2017

 CONTRATAÇÃO DE GESTORES PROVINCIAIS DOS CONSELHOS EMPRESARIAIS PROVINCIAIS (CEP´s)

PARA MANICA E ZAMBÉZIA

A-            INTRODUÇÃO

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique – CTA pretende contratar dois Gestores Provinciais, um para o CEP de Manica e outro para o CEP da Zambézia. Os interessados e que preenchem os requisitos dos presentes termos de referência deverão submeter as suas candidaturas até as 17h00 do dia 14 de Julho de 2017, na sede da CTA sita na Avenida Patrice Lumumba, nr 927, Maputo ou através do e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

B-        Atribuições do Gestor do CEP

Constituem atribuições do Gestor do CEP:

  • Liderar a gestão do Diálogo Público-Privado Provincial (DPPP), Desenvolvimento Associativo e apoio aos membros, administração e gestão financeira ao nível do CEP;
  • Coordenar a criação de grupos de trabalho dos CEPs;
  • Coordenar o processo de elaboração e aprovação da agenda do DPPP e assegurar a sua implementação;
  • Elaboração de planos anuais e orçamento do CEP e assegurar a sua adequada implementação e monitoria;
  • Direccionar, coordenar e planear os serviços essências de apoio aos membros e empresas a nível da província;
  • Gestão, liderança e assegurar o alcance dos objectivos da CTA na província
  • Coordenar e gerir o pessoal e recursos afecto no CEP bem assim como os grupos de trabalho constituídos no âmbito do DPPP
  • Responder adequadamente a situações de emergência ou problemas urgentes que possam surgir e assumir as suas consequências
  • Desenvolver, gerir e implementar um sistema de monitoria das actividades do CEP;
  • Fazer advocacia e lobby para a melhoria do ambiente de negócios na província
  • Assegurar a comunicação efectiva com os membros da CTA na província, CEP e CTA-Sede.
  • Receber, mobilizar e gerir com profissionalismo fundos de acordo com procedimentos da CTA e de doadores;
  • Assegurar um bom ambiente de trabalho entre CEP, Governo e Parceiros ao nível da província;
  • Manter uma base de dados de associações, empresas e sector público que trabalham com a CTA na província;
  • Fazer apresentações e participar em debates sobre assuntos de interesse aos negócios.
    • Disponibilidade imediata
    • Nacionalidade moçambicana;
    • Formação Superior em Gestão, Economia, Economia Agrário, Direito ou areas afins.
    • Possuir no mínimo 5 anos de experiência comprovada de desempenho de cargo de gestão ou chefia em instituições públicas ou privadas
    • Mais de 5 anos de experiência profissional  em trabalho com o sector privado e/ou público e Desenvolvimento Associativo Empresarial;
    • Experiência de trabalho e de relacionamento com entidades governamentais e organizações internacionais;
    • Fluência nas línguas portuguesa e conhecimentos da língua Inglesa e outras, na fala e na escrita.
    • Nível excelente de organização e comunicação interpessoal;
    • Bons conhecimentos do uso do computador em ambientes de Microsoft Word e Excel.
    • Carta de motivação dirigido ao Director Executivo
    • Cópia de bilhete de identidade (BI)
    • Cópia certificado de habilitações
    • Curriculum Vitae e três referências profissionais

.No exercício das suas funções o Gestor do CEP  reporta  a:

1)         Presidente do CEP, para questões carácter político-deliberativo e

2)         Director Executivo da CTA, para as questões operacionais e administrativas

C-        Local de trabalho

O Gestor do CEP é contratado em regime de exclusividade e prestará trabalho nas instalações do CEP a nivel Provincial e/ou noutras por esta indicadas, o que inclui deslocações para dentro e fora do país.

D-        Requisitos

E - Outras informações:

Todos os concorrentes deverão indicar claramente a Província para a qual concorre. A CTA não garante nenhum pagamento de alojamento para os candidatos a ser apurados para fora dos seus habituais lugares de residência. A CTA não assumirá o pagamento de nenhum custo associado a participação dos candidatos apurados no processo de entrevista. Apenas candidatos pré-seleccionados serão contactados.

Maputo, 28 de Junho de 2017

Anuncio de Concurso Publico 005

  • Visitas: 370

CONCURSO PÚBLICO Nº 005 REV/CTA/2017

TERMOS DE REFERÊNCIA DO GESTOR DOS ESTUDOS E ANÁLISE ECONÓMICA DA CTA

A-   INTRODUÇÃO

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique – CTA pretende contratar um Gestor da Unidade de Estudos e Análise Económica (UEAE) que estará baseado na Cidade de Maputo. Os interessados e que preenchem os requisitos dos presentes termos de referência, deverão submeter as suas candidaturas até as 17h00 do dia 14 de Julho de 2017, na sede da CTA sita na Avenida Patrice Lumumba, nº 927, Maputo.

B-        Atribuições do Gestor da UEAE

Compete em particular ao Gestor da UEAE da CTA:

  • Realizar estudos económicos, pesquisas e análise que constituem a base para informar o Diálogo Público-Privado;
  • Prover aos membros de informação útil para os negócios;
  • Monitorar a evolução/mudança do ambiente de negócios (brenchmark);
  • Criar consciência e influenciar a opinião dos membros e do público sobre assuntos do sector privado para uma melhor compreensão da economia do mercado;
  • Apoiar e responder às necessidades dos membros da CTA, dos Mecanismos Consultivos, incluindo os Pelouros Sectoriais e Transversais, as reuniões trimestrais de consulta ministerial, o Conselho de Monitoria do Ambiente de Negócios e a Conferência Anual do Sector Privado em pesquisas e análises económicas, de modo a contribuir para a criação de um melhor ambiente de negócios, para o desenvolvimento do sector privado e a promoção de melhores negócios;
  • Divulgar e influenciar opiniões dos funcionários e responsáveis da administração pública em assuntos relacionados com o sector privado de modo a melhorar a compreensão da economia de mercado;
  • Publicar artigos na imprensa e editoras especializadas e promover cursos e seminários sobre os assuntos da agenda geral de políticas económicas orientadas para o desenvolvimento do sector privado.
  • Elaborar pareceres e documentos sobre a posição da CTA relativa as matérias da agenda de reformas em discussão com o Governo para ajudar a melhorar a compreensão, consciência e opinião sobre diferentes assuntos.

C-        Duração e local de trabalho

O Gestor da UEAE é contratado a tempo inteiro e em regime de exclusividade e prestará trabalho nas instalações da CTA e/ou noutras por esta indicadas, o que inclui deslocações para dentro e fora do país.

O gestor da UEAE deverá ter a capacidade de trabalhar sobre pressão e reporta em primeira linha ao Director Executivo da CTA

D-        Requisitos

  • Disponibilidade imediata
  • Nacionalidade moçambicana;
  • Formação Superior e experiência relevante de trabalho com o Sector Privado (políticas económicas sectoriais), governo, parceiros de cooperação e/ou outras organizações internacionais.
  • Capacidade de comunicação e boas relações interpessoais (em português e Inglês).
  • Mais de 5 anos de experiência profissional em trabalho com o sector privado e/ou público;
  • Experiência de trabalho e de relacionamento com entidades governamentais e organizações internacionais;
  • Fluência nas línguas portuguesa e conhecimentos da língua Inglesa e outras, na fala e na escrita.
  • Nível excelente de organização e comunicação interpessoal;
  • Bons conhecimentos do uso do computador em ambientes de Microsoft Word e Excel.

LANÇAMENTO DO FUNDO DE APOIO ASSOCIATIVO: Presidente da CTA insta associações a organizarem-se

  • Visitas: 462

O Presidente da CTA, Agostinho Vuma, instou as associações económicas a organizarem-se e filiarem-se à CTA por forma a beneficiarem do Fundo de Apoio Associativo lançado na última Quinta-feira, 29 de Julho, na Cidade de Pemba, Cabo Delgado. Trata-se de uma inicitiva da CTA que se enquadra no seu programa de reforço da capacidade das Associações Económicas ao nível nacional, PACI, desenvolvido em parceria com a USAID.

Falando na cerimónia de lançamento do Fundo de Apoio Associativo (CTA Grants Program), o Presidente da CTAaconselhou as associações a regularizarem a sua condição jurídica e de filiação para que possam melhor reunir os requisitos para aceder a este Fundo em prol do desenvolvimento empresarial nacional.

Explicou que, o Fundo visa, essencialmente, melhorar e consolidar o papel das Associações Económicas nas várias plataformas de discussão e promoção do ambiente de negócios, através de lobby, advocacia e da prestação de serviços de valor acrescentado para os seus membros, com foco no crescimento empresarial acelerado e equilibrado.

Estimado em 400.000 dólares norte-americanos (cerca de 25 milhões de meticais) o Fundo visa, em primeiro lugar, prestar suporte material e técnico às organizações empresariais do Sector Privado (Associações e Conselhos Empresariais) que numa base competitiva apresentem projectos, com a duração máxima de 12 meses e orçamentos equivalentes à 20.000 dólares para as Associações, e 30.000 dólares para os CEP’s.

CTA LANÇA FUNDO DE APOIO ASSOCIATIVO

  • Visitas: 438

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA) procede amanhã, Quinta-feira, na Cidade de Pemba, Província de Cabo Delgado, ao lançamento do “Fundo de Apoio Associativo”, uma inicitiva que se enquadra no programa de reforço da capacidade das Associações Económicas ao nível nacional, PACI desenvolvido em parceria com a USAID. 

O Fundo de Apoio Associativo visa essencialmente apoiar as Associações Económicas, de forma competitiva para actividades nas seguintes áreas: Promoção de negócios e investimentos para criação de emprego; diálogo público-privado sectorial; desenvolvimento associativo; e sustentabilidade das associações.

Esta iniciativa, que se enquadra no plano de desenvolvimento associativo da CTA, conta com o apoio da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e está orçado, numa primeira fase, em 400 mil dólares norte-americanos e tem como principais beneficiários  as Associações Económicas filiadas à CTA e Conselhos Empresariais Provinciais.

Com este projecto, a CTA espera que as associações tenham condições para organizar o empresariado local e orientá-lo para as prioridades nacionais.

O  lançamento do  “Fundo de Apoio Associativo” terá lugar amanhã, Quinta-feira, 29 de Junho de 2017, pelas 11 horas no Pemba Beach Hotel, Cidade de Pemba, Província de Cabo Delgado, numa cerimónia que contará com a presença do Governador de Cabo Delgado entre outros membros do Governo Provincial, parceiros de cooperação, para além da classe empresarial.  

Anuncio de Concurso Publico 004

  • Visitas: 358

CONCURSO PÚBLICO Nº 004/CTA/2017

CONTRATAÇÃO DE GESTOR DA UNIDADE DE MECANISMOS CONSULTIVOS DA CTA

A-   INTRODUÇÃO

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique – CTA pretende contratar um Gestor da Unidade de Mecanismos Consultivos (UMC) que estará baseado na Cidade de Maputo. Os interessados e que preenchem os requisitos dos presentes termos de referência, deverão submeter as suas candidaturas até as 17h00 do dia 14 de Julho de 2017, na sede da CTA sita na Avenida Patrice Lumumba, nº 927, Maputo.

B-        Atribuições do Gestor dos Mecanismos Consultivos da CTA

Compete em particular ao Gestor dos Mecanismos Consultivos da CTA:

  1. Coordenar os Mecanismos Consultivos e garantir a elaboração de Planos de Actividades e outros documentos relevantes, tais como, relatórios, cartas, memorandos, discursos e outros inerentes ao sector;
    1. Planificar, programar, dirigir, coordenar e controlar as actividades dos Mecanismos Consultivos;
    2. Assegurar a regularidade de realização dos fóruns do Diálogo Público e Privado (DPP);
    3. Assegurar que os pelouros e as suas contrapartes tenham a respectiva agenda de reformas aprovada;
    4. Coordenar e garantir a implementação de agenda de reformas;
    5. Garantir a interligação entre o pelouro (DPP a nível central) e os Conselhos Empresariais Provinciais (DPP a nível provincial);
    6. Promover e facilitar a articulação entre os Pelouros e a Direcção Executiva;
    7. Informar aos Pelouros das decisões do Conselho Directivo/Direcção Executiva ou de quaisquer assuntos decididos que requeiram o envolvimento dos Pelouros;
    8. Acompanhar a implementação, pelos Pelouros, das tarefas que derivem de decisões centrais e reportar ao Coordenador dos Mecanismos Consultivos o grau da sua implementação;
    9. Emitir pareceres sobre os processos e documentos submetidos a sua apreciação;
    10. Apoiar os Pelouros no desempenho das suas atribuições e compilar os pareceres emitidos pelos pelouros sobre as diversas matérias a estes solicitados;
    11. Organizar e manter actualizados os registos e controlo das acções dos Pelouros, tendo em vista a sistemática do Plano e Orçamento da instituição;
    12. Receber, redigir, expedir, arquivar e controlar a correspondência oficial dos Pelouros;
    13. Atender as partes interessadas que procurem assistência nas matérias relacionadas com os Mecanismos Consultivos ou qualquer questão com estes relacionados;
    14. Desempenhar outras funções, no âmbito das suas competências, que lhe forem atribuídas pelo Conselho Directivo  e/ou pela Direcção Executiva;
    15. Apresentar relatórios mensais das suas actividades;
    16. Preparar as agendas dos encontros dos Pelouros, devendo articular com a Direcção Executiva e/ou outras unidades sempre que se mostrar necessário;
    17. Participar nas sessões dos Mecanismos Consultivos com o Governo e garantir a elaboração das actas e/ou sínteses das sessões, sistematizando-as como forma de garantir memória institucional;
    18. Assegurar a organização e gestão das viagens em missão de serviço relacionadas com temáticas de natureza técnica que possam trazer valor acrescentado ao trabalho dos Mecanismos Consultivos;
    19. Participar em seminários e/ou workshops que possam contribuir para a elevação da capacidade de análise e apoio aos Pelouros;
    20. Preparar documentos de posição da CTA para discussão ao nível dos MC;
    21. Realizar demais actividades inerentes a sua função.

C-        Duração e local de trabalho

O Gestor dos Mecanismos Consultivos é contratado a tempo inteiro e em regime de exclusividade e prestará trabalho nas instalações da CTA e/ou noutras por esta indicadas, o que inclui deslocações para dentro e fora do país.

O Gestor dos Mecanismos Consultivos deverá ter a capacidade de trabalhar sobre pressão e reporta em primeira linha ao Director Executivo da CTA.

D-        Requisitos

  • Disponibilidade imediata.
  • Nacionalidade moçambicana.
  • Formação Superiore experiência relevante de trabalho com o Sector Privado (políticas económicas sectoriais), governo, parceiros de cooperação e/ou outras organizações internacionais.
  • Capacidade de comunicação (em português e inglês) e boas relações interpessoais.
  • Mais de 5 anos de experiência profissional em trabalho com o sector privado e/ou público;
  • Experiência de trabalho e de relacionamento com entidades governamentais e organizações internacionais;
  • Fluência nas línguas portuguesa e conhecimentos da língua Inglesa e outras, na fala e na escrita.
  • Nível excelente de organização e comunicação interpessoal;
  • Bons conhecimentos do uso do computador em ambientes de Microsoft Word e Excel.

 

Maputo, 22 de Junho de 2017