ATÉ AO FIM DESTE ANO – 2020: Cerca de 11% de contratos de trabalho poderão ser suspensos devido a COVID-19

173
  • estima o Estudo da CTA sobre o Impacto da Pandemia no Sector Empresarial

O Estudo da CTA sobre o Impacto da COVID-19 no Sector Empresarial, recentemente divulgado, estima que, até ao fim deste ano (2020), o número de contratos de trabalho suspensos aumente, ascendendo a 63 mil, correspondente a 11% do total da massa laboral formal existente em Moçambique.

Em linha com a projecção da CTA, até ao momento, pouco mais de 51 mil empregos foram suspensos por cerca de 2 mil empresas, na sequência da redução significativa do volume de receitas, que afectou o fluxo de caixa das empresas e a sua capacidade de suportar os custos de produção, dos quais o pagamento de salários. A projecção da CTA indica que os empregos afectados chegarão a 63 mil (correspondente à aproximadamente 11% da massa laboral empregue no sector privado), até ao fim deste ano, abrangendo cerca de 2.700 empresas.
. Em termos sectoriais, a Hotelaria e Turismo regista o maior número de postos de empregos suspensos, cerca de 40% do total, e espera-se que, neste sector, o número de empregos suspensos continue a aumentar.
Embora se espere que, nos próximos seis meses, possam surgir sinais positivos no subsector da restauração, dada a gradual abertura e suavização das restrições, no quadro do Estado de Emergência, o mesmo poderá não se verificar na área de alojamento e agências de viagens. A experiência da Europa, que já tem um plano de alívio de restrições em curso, a abertura de fronteira é das últimas etapas do desconfinamento e tem implicações nas agências de viagens e nos estabelecimentos de acomodação uma vez que, em Moçambique, maioritariamente, a principal procura é externa. Para fazer face aos impactos negativos da COVID-19 no Sector Empresarial e na economia no geral, a CTA tem vindo a propor um conjunto de medidas de curto, médio e longo prazo, abrangendo a área fiscal, aduaneira, monetária e laboral e as mesmas visam, essencialmente, salvar os postos de trabalho.