Confederação das Associações Económicas de Moçambique

CTA ATRIBUI PRÉMIOS A EMPRESAS E AOS ACTORES RELEVANTES PARA A MELHORIA DO AMBIENTE DE NEGÓCIOS EM MOÇAMBIQUE

Para além do Prémio Formiga atribuído ao Presidente da República, a CTA premiou durante a XVII CASP, outros actores relevantes para a melhoria do ambiente de negócios e crescimento económico de Moçambique.

O Prémio “CTA Responsabilidade Social” foi atribuído a MCNet por ter se destacado e apoiado as várias iniciativas aos longo dos últimos 2 anos, sendo de destacar, entre outras, a oferta de laboratório com tecnologia de última geração para a testagem da COVID-19 na Cidade de Nampula; oferta de laboratório de informática na Universidade Eduardo Mondlane-UEM para o desenvolvimento de soluções para os problemas de segurança cibernética bem como para promover a capacitação humana nessa matéria; fornecimento de tenda hospitalar e equipamento médico para o Hospital Geral de Mavalane no âmbito de combate à COVID-19; apoio à Associação dos Diabéticos; apoio à Associação de Luta contra o Cancro; apoio ao MISAU no projecto S’Onor – Testagem de Audição; apoio com Bolsas de Estudos para Mestrado na UEM; apoio à Associação Moçambicana de Tang Soo Do para participação no Mundial da Modalidade; apoio à Federação Moçambicana de Xadrez.

O Prémio Resiliência foi atribuído ao Parque Nacional de Gorongosa, porque durante a pandemia conseguiu elevar o nome do País além fronteira; teve a capacidade de manter a actividade aberta, com visitantes nacionais e estrangeiros, aumentado o volume de negócios e contratado mais trabalhadores; conseguiu incentivar com que a população local interagisse e participasse tanto na manutenção de fauna e na produção de café que está a ser exportado.

O Prémio Inovação coube ao Grupo Lin, uma empresa jovem moçambicana que, com o seu escopo de actuação em limpezas, encontrou na pandemia oportunidades que consolidaram a sua posição no mercado; foi pioneira no processo de desinfeção, complementando este serviço com ramificação da sua actividade com a disponibilização de ambulâncias; desenvolveu um projeto de testagem de COVID-19 ao domicílio; construiu e inaugurou recentemente um clínica privada com tecnologia de ponta.

O Prémio Facilitação do Diálogo Público-Privado foi atribuído ao antigo Ministro da Indústria e Comércio, Carlos Fortes Mesquita, por ter se mostrado disponível a receber e ouvir as preocupações dos associados da CTA; demostrou abertura para receber o sector privado em caso de solicitações de encontro; manteve as datas das reuniões importantes; cumpriu com os compromissos assumidos; sensibilizou outras instituições do Governo a resolverem os problemas do sector privado; participou nos eventos importantes da CTA.

O Prémio Melhor Associação, foi atribuído à Associação Comercial da Beira (ACB) por ter se destacado na sua participação no processo de diálogo com vista a resolução dos problemas dos seus membros; tem posições públicas sobre os vários temas relacionados ao ambiente de negócios no País e do seu sector em particular; participou activamente nas acções de responsabilidade social ligadas a COVID-19 e desastres naturais que aconteceram nos últimos 3 anos; realiza Assembleia Geral e Eleições com regularidade; e tem as cotas em dia na CTA.

O Juri, constituído por Mário Ussene (Primeiro Presidente da CTA), Adelino Buque, Associação dos Economistas de Moçambique (AMECOM) e  Jorge Isaías Cabral Chacate, Presidente da FEDEMOMA, não identificou vencedor para o Prémio Segurança e Protecção Privada nem para o Prémio Conteúdo Local.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn