Confederação das Associações Económicas de Moçambique

CTA DEFENDE A MANUTENÇÃO DO QUADRO ACTUAL DE MEDIDAS

No contexto da recente eclosão da nova variante da COVID-19 designada “Ômicron, a CTA defende o não agravamento do quadro actual de restrições, visto que a situação pandêmica continua estável no País e, conforme referiu a Organização Mundial da Saúde, ainda não há certezas sobre a real natureza desta nova variante.
Enquanto isso, continuam acções de monitoria da evolução da situação geral e particular do País e o reforço à implementação do programa de vacinação. Esta posição foi apresentada hoje em Conferência de Imprensa, onde a CTA apelou ao levantamento das restrições a nível da região da SADC para assegurar que não sejam tomadas medidas extremadas que podem prejudicar as economias dos Países da região, desvalorizando os esforços que têm sido empreendidos para induzir a recuperação destas economias. Neste âmbito, para complementar este esforço, a CTA irá desencadear um processo de diálogo, a nível da “SADC Business Council”, com vista a influenciar a revisão das restrições decretadas pelos outros Países e minimizar os impactos económicos a si subjacentes.
Actualmente, a situação da COVID-19 no País tem se mostrado relativamente estável, com uma média diária de menos de 20 casos positivos, apesar de, ainda, não se ter atingido a imunidade de grupo. Pelo que, diante deste quadro, o Governo tem vindo a aliviar de forma gradual as restrições impostas no âmbito da contenção à propagação da COVID-19, o que tem contribuído de forma notável para a melhoria do desempenho do sector empresarial e tem impulsionado a retoma da actividade económica.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn