OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS NOS PROJECTOS DE GÁS: Espera-se atingir 100 milhões de dólares em negócios com as PME’s

1245

A CTA e SASOL rubricaram na última Sexta-feira, em Maputo, um Memorando de Entendimento que visa estabelecer colaboração entre as partes com o objrctivo de facilitar a participação de entidades Moçambicanas em oportunidades de negócio nos projectos de hidrocarbonetos operados pela SASOL em Moçambique.

À luz deste Memorando, a SASOL deverá, por meio dos encontros regulares descritos, informar à CTA sobre os planos e necessidades de procurement que os seus projectos impliquem, permitindo que a CTA partilhe tal informação com os seus membros de modo a facilitar-se a capacitação de empresas locais para participação no processo de procurement, desde que seja cumpridos os critérios determinados pela SASOL aquando do lançamento de concursos.

De modo a permitir que a CTA e seus membros tenham um melhor entendimento sobre as carências em termos de necessidades de bens e serviços por parte dos projectos da SASOL (e do sector de gás e petróleo em geral), a SASOL providenciará à CTA uma lista contendo os serviços e bens actualmente oferecidos por empresas estrangeiras.

Com base nessa informação, a CTA poderá assim realizar uma avaliação das carências de procurement (“procurement gap analysis”) assim como facilitar a criação de parcerias entre fornecedores locais e estrangeiros.

A SASOL partilhará igualmente a sua perspectiva sobre as áreas e competências a serem desenvolvidas pelos fornecedores, permitindo que as partes explorem, em conjunto, formas de envidarem esforços para promover a criação de capacidades e desenvolvimento de competências.

Por seu turno, a CTA partilhará com a SASOL a sua base de dados de fornecedores locais, de forma a permitir que esta multinacional tenha conhecimento sobre o painel de fornecedores existentes e respectivas capacidades para participação em processos de procurement, contribuindo desta forma para uma maior inclusão de empresas moçambicanas nos projectos da SASOL.

As Partes colaborarão na definição dos requisitos da indústria, para que a CTA apoie e assista com a influência necessária na elaboração e aprovação das leis e regulamentos relevantes pelo Governo Moçambicano e órgãos legislativos.

 

Após a assinatura do Memorando, o Presidente da CTA, Agostinho Vuma, disse que o mesmo visa fortificar os laços de cooperação entre ambas instituições, garantindo assim maior envolvimento das entidades Moçambicanas nos projectos desenvolvidos pela Sasol no país.

“O Acordo de Cooperação que assinamos com a SASOL irá permitir desenvolver acções que irão concorrer para facilitar a participação das entidades Moçambicanas nas oportunidades de negócios nos projectos de hidrocarbonetos operados pela Sasol no país”, referiu Agostinho Vuma, salientando que a implementação destas acções irá facilitar o desenvolvimento empresarial e o fornecimento de bens e serviços por parte das empresas nacionais, assim como no processo de reformas regulatórias.

“A implementação deste Acordo de cooperação será monitorado periodicamente, tendo sido definido um intervalo para monitoria de 4 a 4 meses”, explicou.

O Director Executivo da SASOL, Peter Manoogisn, disse que a agenda é comum, e nesta perspectiva aquela multinacional sul-africana quer promover o crescimento económico e social em Moçambique através do desenvolvimento socioeconómico e da industrialização. Referiu que a SASOL tem disponível 100 milhões de dólares anuais para prestação de serviços e fornecimento de bens por parte de empresas moçambicanas.

“Através da colaboração entre os sectores público e privado, acreditamos que juntos podemos garantir a industrialização e a prosperidade social em benefício do país e do povo moçambicano”, referiu Peter Manoogian, para depois reiterar: “Permanecemos decididos no nosso compromisso de continuar a investir no país. Para tal, renovamos o foco para o desenvolvimento de Moçambique em parceria com o povo moçambicanos”.