CTA e SBNMOZ realizam a segunda ronda de Mesas-Redondas sobre Sistemas Alimentares

379

O SBNMOZ e a CTA realizaram nos dias 20 e 21 de Junho corrente, a 2ª Série de Mesas-Redondas sobre sistemas alimentares, no âmbito das estratégias para a expansão da nutrição em Moçambique. Para a presente série, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer e discutir os resultados de diversos estudos de mercado realizados pela GAIN, sobre cadeias de valor específicas e preferências do consumidor.

Estes estudos apresentaram os desafios e oportunidades na indústria de embalagem, no campo de produção de ovos de mesa, na área da alimentação complementar e dos micronutrientes em pó (MNP), bem como no que diz respeito aos comportamentos do consumidor e aos hábitos de consumo de alimentos pelos moçambicanos. Esta foi, também, uma oportunidade para a GAIN apresentar uma iniciativa de parceria com a PROCONSUMER, associação de defesa dos consumidores local e a VODACOM de Moçambique, através da qual a PROCONSUMER irá realizar acções de monitoria da disponibilidade de alimentos fortificados no mercado nacional. Esta ferramenta irá contribuir para informar o sector privado sobre a penetração dos seus produtos no mercado, bem como para um maior conhecimento sobre as preferências dos consumidores e os seus hábitos de aquisição de alimentos, aumentando assim a capacidade dos produtores oferecerem aos seus clientes o produto certo, no momento certo.
Mais de 230 participantes provenientes do sector privado, sociedade civil, academia, agências das Nações Unidas e Governo discutiram estes assuntos durante os dois dias de sessões, onde foram apresentados resultados de seis estudos. Os participantes foram unânimes sobre a necessidade de se alinhar o investimento para cadeias de valor potencialmente nutritivas e assim contribuírem para a melhoria da nutrição dos Moçambicanos. Segundo o Inquérito Demográfico e de Saúde (IDS, 2011), cerca de 43% dos Moçambicanos sofre de desnutrição crónica. Acrescente-se que, de acordo com dados do “Custo da Fome, 2017, divulgados pelo Programa Mundial para a Alimentação, o Estado Moçambicano perde cerca de 10.9% do seu produto Interno Bruto (PIB) anual, cerca de 67 biliões de Meticais ou 1.6 biliões de Dólares, por causa da malnutrição.
O SBNMOZ e a CTA acreditam que ao se envolver o sector privado e outros sectores, o sucesso no fortalecimento do ambiente de negócios e o aumento da qualidade, disponibilidade, procura e acesso a dietas mais saudáveis e nutritivas e a custos mais baixos será alcançado por todos Moçambicanos. Este evento contou com o apoio da UK aid do Governo do Reino Unido.