Confederação das Associações Económicas de Moçambique

DESEMPENHO DAS EMPRESAS CAIU DE 29% PARA 27% NO I TRIMESTRE DE 2022

O Índice de Robustez Empresarial registou no I Trimestre de 2022 uma queda em cerca de 2 pontos percentuais face ao IV Trimestre de 2021, passando de 29% para 27%. Esta contração reflecte, na essência, o efeito combinado do impacto das calamidades naturais que assolaram o País no primeiro trimestre; o aumento da inflação que reduziu a taxa de juro real; e o aumento de custos de matérias-primas com destaque para o petróleo, o trigo, o óleo alimentar bruto, em grande parte, explicado pelas distorções causadas pelo conflito entre Rússia e Ucrânia.

Todavia, estes factores foram contrabalançados pelo impacto positivo do aprofundamento do alívio de restrições de combate a COVID-19 ocorrido durante o I Trimestre com o anúncio do fim do Estado de Calamidade Pública.
A despeito desta redução do IRE, a nível nacional, destacam-se as províncias de Sofala e Zambézia que registaram melhorias significativas, passando o top 5 das províncias com melhor desempenho.

Acompanhando este comportamento, o índice de tendências de emprego, também evidenciou um abrandamento, tendo passado de 125.9 para 115.0, ou seja, uma descida de 10.9 pontos, o que revela que por um lado a obtenção de emprego em Moçambique tendeu a ser relativamente mais difícil no I Trimestre de 2022 em relação ao IV Trimestre de 2021, e por outro lado, as empresas moçambicanas se mostraram mais dispostas a contratar trabalhadores temporários no I Trimestre de 2022 em contraposição a trabalhadores permanentes.

Leia no link a intervenção do Presidente da CTA ne VIII edição do Economic Briefing: Presidente da CTA – Intervenção VIII edição Economic Briefing

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn