CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES ECONÓMICAS DE MOÇAMBIQUE

CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES ECONÓMICAS DE MOÇAMBIQUE

EM 2023, CTA VAI PROSSEGUIR COM A MONITORIA DAS ACÇÕES DO PAE PARA GARANTIR IMPLEMENTAÇÃO EFICAZ DAS MEDIDAS

EM 2023, CTA VAI PROSSEGUIR COM A MONITORIA DAS ACÇÕES DO PAE PARA GARANTIR IMPLEMENTAÇÃO EFICAZ DAS MEDIDAS

A CTA- Confederação das Associações Económicas de Moçambique, esteve reunida na sua Trigésima Terceira Sessão Ordinária da Assembleia Geral na qual foi aprovado o Plano de Actividades e Orçamento para 2023. Este Plano tem como objectivo principais:
Aumentar a produtividade do Diálogo Público-Privado;
Aprofundar o desenvolvimento institucional da CTA;
Assegurar a competitividade do sector empresarial moçambicano;
Fortificar as parcerias internas e externas.
Portanto, em 2023, a CTA irá prosseguir com a monitoria das acções que constam do PAE, através da emissão de pareceres do sector privado que possibilitem a implementação eficaz destas medidas para que surtam o efeito desejado que é a aceleração da economia. A CTA espera que o pacote fiscal submetido à Assembleia da República, ao ser aprovado, respeite o princípio que norteou a aprovação do PAE e, conforme o Presidente da República se referiu, passa por estimular a economia, reduzir a carga fiscal sobre as pequenas e médias empresas.
Em 2023, a CTA irá prosseguir com avaliação da qualidade dos serviços prestados pelos profissionais dos BAUs, e outros serviços públicos visando adoptar mecanismos de melhoria da qualidade dos mesmos em todas capitais provinciais. O diálogo com o Governo continuará sendo a nossa maior prioridade. As avaliações a serem feitas servirão para informar esse diálogo. A nível da política monetária, continuará com um diálogo colaborativo cm o Banco de Moçambique, com destaque para op CPMO+1.
Numa altura na qual os ditames da globalização impõem o alcance de altos padrões de qualidade empresarial, a área de competitividade do sector empresarial moçambicano terá o seu enfoque em actividades ligadas a promoção de acções de capacitação das empresas, do programa de digitalização das empresas e da identificação de fontes alternativas de financiamento para pequenas e médias empresas. A CTA se propõe a contribuir para a diversificação de fontes de financiamento às PMEs, incluindo o estabelecimento do FADE e acesso ao mercado de capitais.
Assim, prevê-se prosseguir com implementação do projecto +Emprego em parceria com o Instituto Camões no qual estamos a desenvolver acções nos domínios do apoio à certificação e qualidade das PME e de apoio ao emprego jovem através de estágios nas PME, criação de negócios e da própria empresa, beneficiando 65 PMEs, com destaque para Cabo Delgado.
O Projecto de Desenvolvimento das Capacidades Produtivas das PME do Agro Negócio da Zona Norte, em Parceria com o Banco Africano de Desenvolvimento, irá beneficiar 200 PMEs baseadas em Nampula, Niassa e Cabo Delgado.
A CTA irá implementar acções para engajar as PMEs no desenvolvimento sustentável, crescimento verde e processos produtivos amigos do ambiente.
Estas acções serão implementadas num contexto na qual a economia global enfrenta condições adversas com destaque para a inflação alta, sendo a maior registada nas últimas décadas, aperto das condições financeiras a nivel mundial, o impacto do conflito entre a Ucrânia e Rússia e os efeitos prevalecentes da pandemia de COVID-19. Como resultado da conjugação destes factores uma parcela crescente das economias está em desaceleração do crescimento ou contração total, o que afecta em sobremaneira as perspectivas para o próximo ano.

Facebook
Twitter
LinkedIn