CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES ECONÓMICAS DE MOÇAMBIQUE

CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES ECONÓMICAS DE MOÇAMBIQUE

Empresários de Manica trabalham para aumentar os níveis de produção

Empresários de Manica trabalham para aumentar os níveis de produção


Teve lugar na última terça-feira, 25 de Outubro, na cidade de Chimoio, o Fórum Empresarial Provincial de Manica, no qual, para além de empresários, participaram membros do Governo Provincial, e representantes de diversas instituições públicas. O sector privado de Manica mostrou-se pronto a produzir mais desde que sejam removidas algumas barreiras e sejam introduzidos alguns incentivos, sobretudo no sector agrário.

Trata-se de um Fórum que permitiu os sectores público e privado locais a fazerem uma radiografia sobre assuntos que afectam o ambiente de negócios, e identificação de barreiras que precisam de ser removidas à luz do Diálogo Público-Privado.
Para além dos constrangimentos já conhecidos, que constam da matriz deste ano, durante o Fórum Empresarial Provincial (FEP) foram levantadas novas questões e produzidas recomendações para o DPP aos níveis provincial e nacional.
Durante os debates, o Governador de Manica, Alberto Mondlane, mostrou-se preocupado com facto de a província possuir muitos recursos, mas continua pobre. Propôs uma colaboração com o sector privado de modo a criar-se mecanismos eficientes para a exploração dos recursos minerais e florestais. Saudou a plataforma de diálogo crida ao nível da província, que consiste em reuniões semanais entre os sectores público e privado para discutirem projectos de negócios. Na ocasião, Mondlane revelou que o governo está a pensar na implementação de um projecto que se denomina “Condomínio Verde” de 100 hectares que serão repartidos em parcelas de 1 hectare que posteriormente serão entregues aos produtores.
O coordenador do pelouro de agro-negócios no CEP Manica, lamentou o facto de as mudanças climáticas estarem a afectar as condições pluviométrica e sugeriu que fossem identificadas áreas para a prática de agricultura de sequeiro e rega.
Victor Faustino, empresário, propôs a unificação dos serviços de inspecção do Estado de maneira que o INAE coordena todas a equipes de inspecção. Apresentou ideias sobre o controlo de preços dos produtos comerciais, e existência de concorrência desleal na comercialização de cereais.
Em representação dos madeireiros, o empresário Bertuz mostrou-se preocupado com a forma desenfreada como a Umbila, uma espécie florestal em extinção, está a ser cortada. Propôs o cancelamento de licenças simplificadas de corte de madeiras em touro.
Um outro empresário, de nome Chibante, pediu esclarecimentos sobre a isenção do IVA na aquisição de equipamentos indústrias. Sobre esta inquietação, o esclarecimento veio do Presidente do CEP. Samuel Guizado falou dos requisitos e explicou todos os procedimentos necessários para beneficiar da isenção. Apelou aos empresários revendedores do cimento a aderirem ao programa de Regulamento de Produção, Transporte, Comercialização, e Garantia de Qualidade de Cimentos Correntes.
No âmbito do Diálogo Público Privado, visando a promoção de ambiente favorável ao desenvolvimento de Micro, Pequenas e Médias Empresas na província de Manica, o Conselho Empresarial Provincial tem vindo a empenhar-se num diálogo estruturado com as entidades públicas da província através de uma matriz do DPP local, aprovada entre as partes.
De igual modo, visando expandir a representatividade do sector privado em plataformas de discussão sobre os interesses da classe empresarial, o CEP está a levar a cabo actividades de fortalecimento de núcleos de representantes locais do sector privado nos municípios e distritos da província de Manica.

 

Facebook
Twitter
LinkedIn