ENTRE EMPRESAS MOÇAMBICANAS E CANADIANAS: Parcerias podem melhorar o envolvimento das PME´s moçambicanas na indústria de petróleo e gás

88

O Presidente da CTA, Agostinho Vuma, encorajou empresas moçambicanas a firmarem parcerias com empresas canadianas com vista a melhorar o seu envolvimento na indústria de petróleo e gás, um sector bastante promissor, que aponta Moçambique como um dos principais produtores de GNL a nível mundial, num futuro muito próximo.

Falando no Seminário Virtual de Negócios e Investimentos Moçambique-Canadá, o Presidente da CTA, Agostinho Vuma, referiu que as empresas moçambicanas enfrentam dificuldades em aproveitar as oportunidades que surgem com o advento da exploração do petróleo e gás.
Uma das limitações para o não aproveitamento destas oportunidades por parte das empresas moçambicanas, tem a ver com os padrões exigidos pelos operadores, a fraca capacidade para apresentar garantias e avais que vão de acordo com o volume de negócios envolvidos e a falta de acesso à certificação.
Para mitigar esta situação, a CTA está a implementar um Programa de Certificação de Empresas – PRONACER, que nesta fase inclui 150 empresas e visa mitigar as dificuldades de acesso aos mercados que as firmas moçambicanas ainda enfrentam.
Com foco nos sectores de Agricultura e Agro-processamento, Energia e Petróleo e Gás, o Seminário tinha como objectivo explorar as oportunidades de negócios e de parcerias existentes nos dois países, bem como partilhar as experiências sobretudo nos sectores em que o Canadá tem potencial.
No sector de agricultura, apesar das enormes diferenças climáticas entre os dois países, o Presidente da CTA está convicto de que, Moçambique pode obter, do Canadá, o know-how, a tecnologia e os necessários recursos materiais e financeiros para o empoderamento das empresas nacionais para um melhor aproveitamento dos 36 milhões de hectares de terra arável de que Moçambique dispõe, dos quais apenas 15% é aproveitado, maioritariamente pelo sector familiar.
“Para se encarar com optimismo estes desafios e oportunidades, o financiamento aos nossos produtores e a toda a cadeia agrária e de agro-processamento é essencial. E nós acreditamos no potencial do Canadá de investir neste sector”, frisou Agostinho Vuma.
Referiu ainda que, a abertura do mercado canadiano para os produtos moçambicanos de exportação pode, igualmente, contribuir para o desenvolvimento deste sector.
O Ministro da Indústria e Comércio, Carlos Mesquita, convidou empresários canadianos a investirem mais em Moçambique, diversificando os sectores. Referiu que Moçambique apresenta condições favoráveis para satisfazer a procura interna e para exportar para os países da região da África Austral e para outros mercados internacionais.