Expectativas de uma recuperação económica rápida dos efeitos da COVID-19

160

A nível internacional, os mercados financeiros foram influenciados pelos seguintes eventos: (i) optimismo em torno do alivio das tensões comerciais entre os EUA e China; (i) O Banco Central da Inglaterra manteve a taxa de juro diretora em 0,1% e antevê uma queda em 14% do PIB da Inglaterra devido a actual pandemia; (ii) Como consequência da actual pandemia a economia norte-americana registou uma perda de 20,5 milhões de postos de trabalho no mês de Abril, elevando a taxa de desemprego para 14,7%, nível mais alto desde 1929; (iii) publicação de dados apontando um aumento de 3,5% das exportações da China no mês de Abril sinalizando uma recuperação depois das dificuldades registadas no I Trimestre devido as medidas de confinamento que prejudicaram entre outras actividades a de transporte e logística. Como corolário, as principais praças bolsistas registaram um desempenho positivo nesta semana.


Na presente semana, os preços das commodities energéticas e metais mantiveram o comportamento misto das últimas semanas. O Barril de Petróleo teve uma cotação média de USD 29,4 representando uma valorização de 28,3% face a semana passada, impulsionado pelo corte de produção mais rápido do que o esperado que as empresas petrolíferas estão a efectuar e pelos sinais de aumento da demanda devido a reabertura gradual das economias em grande parte do mundo. Mesma tendência apresentou o Gás natural que teve a sua cotação em média de 1,97 USD/Mmbtu. No sentido contrário, a cotação do Alumínio ressente-se do abrandamento da actividade industrial, registando uma variação negativa face a semana passada ao atingir uma média de 1.483 USD/Ton.


Os produtos agrícolas numa semana que evidenciaram uma assinalável volatilidade resultante dos dados positivos sobre as exportações chinesas, a diminuição das tensões comerciais entre a China e os EUA bem como o aumento da demanda de produtos agrícolas na China
A nível doméstico, a taxa de juro dos Bilhetes de Tesouro reduziu para 11,82%, e as outras as taxas de juro de referência não sofreram alteração face ao observado na semana passada.
Em relação as janelas de operações, dados desta semana indicam um aumento do volume de operações à taxa Facilidade Permanente de Depósito (FPD) de uma média de 547,21 milhões de MT da semana passada para 1.463,71milhões de MT nesta semana. Na Janela de Cedência (FPC) há registo de intervenção do Banco de Moçambique no montante de 40 milhões de MT nesta semana.


No que tange ao mercado cambial, o Metical continua evidenciando a tendência de depreciação das últimas semanas em relação as moedas de referência transacionadas no mercado.

Na análise comparada entre os quatro maiores bancos intervenientes do MCI, o BCI registou as cotações mais favoráveis para o Euro e o ABSA foi para o Dólar americano e Rand. No outro extremo, o Standard Bank praticou as cotações mais altas em relação as moedas de referência.

Por Samo Dique e Vanda Castelo