INDÚSTRIA TRANSFORMADORA PERDE MENSALMENTE 4 MIL MILHÕES DE METICAIS DEVIDO A COVID-19

285
Presidente de Moçambique inaugura nova fábrica de cimentos com ...

A indústria transformadora perde mensalmente 4 mil milhões de Meticais, correspondente a uma média mensal de 60% de facturação das empresas deste sector que viu os seus níveis de actividade produtiva a reduzir em mais de 70%, desde que se decretou o Estado de Emergência visando a contenção da propagação da COVID-19.

Segundo Onório Boane, Director Geral do Parque Industrial de Beleluane, que falava no Briefing com a Imprensa convocada pela CTA, o destaque vai para as indústrias de bebidas não alcoólicas, do açúcar, óleos e sabões, que registam perdas mensais de facturação estimadas entre 40% e 65%.

O caso de indústria cervejeira, que envolve, ao longo da sua cadeia de valor, cerca de 16 mil pequenos agricultores, essencialmente, na produção e comercialização de Mandioca e Milho, a redução do nível de actividade estima-se em 30%, o que põe em risco a renda de cerca de 80 mil famílias que já se ressentem de um elevado custo de vida.

O mesmo cenário verifica-se na indústria do algodão, que envolve, na fase inicial da cadeia de valor, cerca de 150 mil pequenos agricultores, que produzem e comercializam, anualmente, cerca de 45 mil toneladas de algodão caroço. Com a queda do preço desta matéria-prima no mercado internacional em cerca de 30%, estima-se que o preço de venda ao produtor poderá baixar dos actuais 23.3 Meticais/Kg para 17 Meticais/Kg, resultando numa perda de rendimento dos agricultores estimada em 283,5 milhões de Meticais, uma cifra significativa tendo em conta as dificuldades que esta camada populacional enfrenta.

Segundo referiu Onório Boane, o sector de transportes e logística também será significativamente afectado pela queda do nível de actividade industrial, podendo afectar, igualmente, o comércio, bem como os diversos serviços associados.