SÍNTESE DO DEBATE DA CTA-AMECON SOBRE A DEPRECIAÇÃO DO METICAL FACE AO DÓLAR NORTE-AMERICANO

272

O Metical tem vindo a depreciar em relação ao Dólar Americano, causando sérios problemas na economia nacional. Face a esta situação, o Banco de Moçambique interveio, no Primeiro Trimestre, no Mercado Cambial, em 400 Milhões de Dólares Norte-Americanos, valor superior ao disponibilizado no período homólogo. Contudo, o comportamento cambial não se alterou. Na fase actual em que se encontra a nossa economia, para além de

alavancar somente as receitas de exportadores que não usam muitos insumos importados na sua produção, ela diminui significativamente o valor de moeda externa disponível, uma vez que o exportador necessitará de menos dólares para fazer face às despesas que possui em moeda nacional (pagamento de impostos, pagamentos de salários aos trabalhadores nacionais e outras despesas denominadas em moeda nacional). A depreciação do metical não atrai imediatamente a entrada de divisas no País, porque o nosso país não possui liquidez razoável de activos líquidos transaccionados no mercado de capitais que sejam apetecíveis ao investidor estrangeiro. A depreciação do Metical está, obrigar, também, à reconfigurações nas contas das empresas registadas em Moçambique, uma vez que têm de reclassificar o seu Activo e Passivo, de modo a reflectir o valor real dos itens inscritos no Balanço e Mapa de Resultados.

Do debate entre economistas e homens de negócios sobre o actual comportamento do metical, uma das conclusões a que se chegou foi que a especulação tem vindo a ser um dos grandes determinantes do comportamento cambial. Sendo assim, a intervenção do Banco de Moçambique é importante e não deve restringir-se às operações cambiais, de venda e compra de divisas, mas também em medidas para regular o mercado e reduzir a sua exposição à especulação. Outros factores, como a falta de desembolsos devido a não aprovação do Orçamento do Estado, bem como alguma tensão que se gerou devido os discursos políticos e os raptos, originando algum apetite ao repatriamento de capitais, terão influenciado o comportamento do Metical.

É necessário alertar aos intervenientes do mercado (exportadores, importadores e aos bancos comerciais) que a qualquer momento o Banco de Moçambique poderá tomar medidas legais apropriadas para corrigir as expectativas especulativas do mercado, tendo em conta a particularidade da nossa economia. Em contrapartida, e devido à incapacidade de substituição imediata da importação pela produção interna, a procura pela moeda estrangeira tende a não alterar, agravando assim a posição do Metical se o Banco de Moçambique não contrariar as expectativas.

Por fim, é necessário debater-se, profundamente, sobre o regime cambial que Moçambique deve seguir.

Por um Melhor Ambiente de Negócios!