PRESIDENTE DA REPÚBLICA NO FÓRUM VIRTUAL DE LÍDERES DO CCA: As empresas responderam positivamente adoptando medidas de prevenção

45

O Presidente da República, Filipe Nyusi, reconhece que as empresas, tanto nacionais assim como internacionais, incluindo americanas, respondem bem as medidas de prevenção, adaptando as suas condições de trabalho e doando equipamento de protecção individual aos trabalhadores da saúde, ao mesmo tempo que o Governo fez dotações de recursos adicionais aos sectores de saúde e de protecção social.

Intervindo no Fórum Virtual de Líderes do CCA – Corporate Council on Africa, que teve lugar na última quarta-feira, o Chefe de Estado moçambicano destacou o papel preponderante desempenhado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), Banco Mundial (BM) e Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), que têm respondido aos apelos de assistência e continuam a ser parceiros fundamentais nos esforços de desenvolvimento de Moçambique.
Filipe Nyusi agradeceu ao Governo dos EUA por apoiar a resposta destas instituições financeiras multilaterais, estimando que Moçambique precisa de cerca de 700 milhões de dólares americanos para mitigar o impacto da COVID-19 e grande parte desse valor já está assegurado.
“Ao testemunharmos a pandemia a desenrolar-se noutras partes do mundo, nós, em África, tivemos uma janela de oportunidade para agir, rapidamente, para prevenir a sua propagação. Em conformidade com os conselhos da Organização Mundial da Saúde (OMS), União Africana e o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças, e outros parceiros de cooperação, iniciamos, prontamente, campanhas de educação e sensibilização pública”, referiu o Presidente da República sublinhando que, em Moçambique, logo que os primeiros casos ocorreram, o Governo decidiu criar uma Comissão Ministerial Especial e um Comité Técnico Científico para aconselhar ao Executivo e assumir a liderança nos esforços de resposta.
“À medida que os casos aumentavam, declaramos o Estado de Emergência e instituímos o distanciamento social, tornamos obrigatório o uso de máscaras e as medidas de higiene, em muitos casos. Os números actuais de casos, apesar de estarem a aumentar, ainda são relativamente baixos. Moçambique registou, até ao momento 757 casos positivos para a Covid-19, 5 óbitos, todos com outras causas pré-existentes, e 206 casos completamente recuperados”, elucidou, salientando que as empresas não estão a funcionar, em pleno, e algumas encerraram, sendo os sectores de turismo e de transportes os mais afectados. O desemprego aumentou, afectando, principalmente, os grupos mais vulneráveis na sociedade. Os motivos desta situação incluem o encerramento de fronteiras e o declínio do comércio internacional.
Perante este cenário e para mitigar a situação, destacou as medidas fiscais e monetárias tomadas pelo Governo para apoiar as empresas, incluindo os bancos.