CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES ECONÓMICAS DE MOÇAMBIQUE

CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES ECONÓMICAS DE MOÇAMBIQUE

Presidente promete mais progressos na melhoria do ambiente de negócios

Presidente promete mais progressos na melhoria do ambiente de negócios

Perante membros do Governo, parceiros de cooperação, corpo diplomático acreditado em Moçambique e a comunidade empresarial, o novo Presidente da CTA, Agostinho Vuma, que tomou posse na última sexta-feira, prometeu mais progressos na melhoria do ambiente de negócios tornando o Sector Privado Moçambicano mais robusto.

À comunidade empresarial, Agostinho Vuma garantiu que a CTA vai conseguir a tão almejada melhoria do ambiente de negócios e o seu elenco está convicto de que se lançou neste ciclo com o desafio de trazer soluções para as necessidades reais do sector privado e do desenvolvimento do empresariado nacional, como motor do desenvolvimento económico de Moçambique.
O Presidente da CTA disse que a sua equipa está determinada a cumprir integralmente com todas as promessas que fez e de transformar o manifesto em programa de acção que permitirá ir ao encontro das expectativas da classe empresarial.
“Pretendemos fazer dos órgãos da CTA uma unidade plural e coesa, onde a atitude e o compromisso de cada um é para com o sector privado no seu todo e para com o futuro desta Confederação. Trabalharemos na busca de alternativas urgentes para a sustentabilidade das empresas e das associações, e para a manutenção e criação de empregos”, garantiu, realçando que as associações, federações, câmaras de comércio e todos os stakeholders da CTA podem contar com a total entrega do seu elenco à causa da melhoria do ambiente de negócios.
Com a tomada de posse dos novos Órgãos Sociais, Agostinho Vuma afirmou que o Governo Central e os Governos provinciais e distritais passarão a contar com uma Confederação de Associações Económicas colaborante e genuinamente interessada na resolução dos problemas do ambiente de negócios em Moçambique. Isso, segundo sublinhou, passa necessariamente pela efectiva implementação da deliberação sobre a transformação dos CEP´s em Delegações Provinciais da CTA, por forma a incrementar o DPP a nível local e fortalecer o movimento associativo empresarial.
“Estamos empenhados em colaborar no fortalecimento do Diálogo Público-Privado. O nosso primeiro objectivo é o bom entendimento, o trabalho conjunto e profícuo. Se assim for, o país agradecerá. Porém, estamos prontos para situações de diálogo mais difícil, desde que conduza ao desiderato da melhoria do ambiente de negócios”, frisou, para depois acrescentar: “Queremos ser um parceiro activo na definição das melhores práticas na gestão das nossas micro, pequenas e médias empresas. Uma coisa asseguramos a todos os nossos parceiros, connosco podem sempre contar com a máxima franqueza, seriedade, frontalidade e transparência”.
Apesar da sua filiação política, Agostinho Vuma disse estar convicto de que a CTA não é uma sede partidária, nem um centro de contrapoder. “A minha opção é clara. Garantir, por arreigada convicção democrática, o diálogo institucional e social, como a melhor forma de ser eficaz e competente na concretização social e económica do projecto da melhoria do ambiente de negócios em Moçambique”.
A nova direcção da CTA assumiu o compromisso com a classe empresarial baseado em cinco prioridades para visando a melhoria do ambiente de negócios, nomeadamente:

  • Consolidação do Diálogo Público Privado.
  • União e coesão social e territorial do nosso movimento associativo.
  • Gestão responsável, participada e rigorosa.
  • Desenvolvimento do serviço de apoio empresarial.
  • Fomentar uma confederação segura, moderna e aberta à filiação de todos os agentes económicos, pequenos e grandes, formais e informais.
Facebook
Twitter
LinkedIn