Confederação das Associações Económicas de Moçambique

Recuperação das Vilas de Mocímboa da Praia e Palma

COMUNICADO

 

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique – CTA, tem acompanhado de perto a evolução da situação de insegurança no norte da província de Cabo Delgado, que tem vindo a preocupar a comunidade empresarial devido aos impactos negativos no desempenho económico da província. Desde a primeira hora, a CTA apresentou a sua preocupação, bem como desenvolveu acções no terreno visando levantar as informações sobre como a situação afectava as empresas.
De acordo com a avaliação feita pela CTA sobre os impactos dos ataques terroristas na zona norte do País apurou-se que cerca de 288 empresas haviam suspendido as suas actividades nos distritos de Mocimboa da Praia e Palma, afectando um total de 23 mil postos de trabalho. Adicionalmente, a CTA constatou que, devido à suspensão das actividades da TOTAL Energy na sequência do ataque terrorista do dia 24 de Março do presente ano, ao distrito de Palma, várias empresas foram significativamente afectadas, sobretudo aquelas que se encontravam envolvidas directa ou indirectamente neste projecto por via de contractos de fornecimento de bens e serviços à TOTAL
Energy ou às suas contratadas.
Neste levantamento, apurou-se que por conta da paralisação das actividades do projecto da TOTAL Energy, foi suspenso o fornecimento de mercadorias no valor de 35 milhões de USD, numa situação em que um volume de 43,6 milhões de USD já estava em stock, isto é¸ as empresas vinham estocando mercadorias perspectivando o seu fornecimento.
Contudo, com as informações mais recentes veiculadas pelo Governo, que dão conta de que as Forças Armadas recuperaram o controlo das vilas de Palma e Mocímboa da Praia, que anteriormente encontravam-se sob controlo dos terroristas, perspectiva-se um quadro
relativamente melhor nos próximos dias. Isto é, estes últimos desenvolvimentos constituem uma lufada de ar fresco para as perspectivas empresariais de forma particular, e económicas do País  no geral, considerando que nestas localidades encontra-se instalado o projecto de Gás Natural Liquefeito (Projecto LNG Golfinho/Atum) da Área 1 Offshore da Bacia do Rovuma, liderado pela TOTAL Energy, que continua suspenso devido à situação de insegurança que vinha caracterizado estas zonas.
As perspectivas positivas do sector privado têm alicerce, essencialmente, no retorno das actividades empresariais e dos projectos ora suspensos devido aos ataques terroristas, com realce para o projecto da TOTAL Energy. A retoma deste projecto poderá constituir um alívio para as PME´s que forneciam bens e serviços à indústria do Oil&Gas. De igual forma, esta situação poderá propiciar a estabilidade social decorrente do retorno da população que se encontra refugiada mitigando deste modo o drama humanitário que se vive.
A CTA saúda o empenho de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique e Presidente em exercício da SADC pelos esforços conjuntos das Forças de Defesa e Segurança, da Região e do Ruanda no restabelecimento da segurança em Cabo Delgado, o que resultará na segurança dos investimentos nacionais e estrangeiros em curso naquela região do País e na melhoria da atractividade do País como destino de investimentos.
A terminar, a CTA reitera o seu compromisso na advocacia pela melhoria do ambiente de negócios e promoção da competitividade económica, e aplaude os esforços do Governo na busca incansável por soluções para a estabilidade e contínuo desenvolvimento económico e social do País.

Maputo, 10 de Agosto de 2021

Pela Melhoria do Ambiente de Negócios!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn