Reflexão sobre a apreciação da taxa de câmbio

663

Em Moçambique, os agentes económicos têm vindo a queixar-se do nível de taxas de juro de empréstimo. Devido a elevados custos de juros, do acesso limitado ao crédito e mercado de venture capital, o empresário moçambicano realiza os seus investimentos com recurso a fundos próprios e empréstimos a amigos ou familiares. Esta reclamação ganhou consistência quando o Banco de Moçambique começou a reduzir o nível de taxas de referências, nomeadamente, a Taxa de Reservas Obrigatórias (TRO), Facilidade Permanente de Cedência (FPC) e Facilidade Permanente de Depósitos (FPD).

Clique aqui para baixar o estudo.