VISITA DO EMBAIXADOR A CTA: BRASIL PRETENDE AUMENTAR E DIVERISIFCAR A PRESENÇA DAS SUAS EMPRESAS EM MOÇAMBIQUE

338

O Embaixador do Brasil em Moçambique, Carlos Alfonso Iglesias Puente, visitou a CTA na manhã de hoje, 17 de Abril, onde se reuniu com o Conselho Directivo, para discutir agendas de negócios, visando incrementar os níveis de trocas comerciais entre os dois países e aumentar a diversificação da presença de empresas brasileiras em Moçambique.

Na ocasião, o diplomata anunciou a vinda à Moçambique de empresários brasileiros em Julho próximo, que será marcada pela realização de um fórum de negócios com o objectivo de criar parcerias e partilhar oportunidades de negócios existentes nos dois países.

O investimento privado brasileiro em Moçambique ascende a 9 mil milhões de dólares norte-americanos, sendo que o investimento da Vale tem peso em cerca de 90%. No entanto, o Brasil quer aumento e maior diversificação da presença de empresas brasileiras em outros sectores, como Tecnologias de Informação e Comunicação, Alimentação, Transporte e Logística que podem apoiar nos projectos de exploração de petróleo e gás. 

Carlos Puente disse que as empresas do Brasil têm condições competitivas para estar presente em Moçambique nestes sectores, tendo como vantagem natural a língua e similaridades culturais.

As trocas comerciais entre os dois países rondam nos 200 milhões de dólares, cifra que, segundo o Embaixador, é muito inferior ao potencial que Moçambique e Brasil apresentam.

Para o Embaixador, o Fórum de Negócios agendado para Julho próximo servirá de ponta-de-lance para o aumento da presença de empresários brasileiros em Moçambique e, por conseguinte, o aumento das trocas comerciais.

“Queremos que o comércio entre os dois países aumente e esse aumento vai acontecer no momento em que empresários de Moçambique e do Brasil se encontrarem e negociar parcerias”, referiu

O Director Executivo da CTA, Eduardo Sengo, destacou a entrada de instituições financeiras no país comos sendo um dos mecanismos que pode ajudar a atrair mais os investimentos para Moçambique, diversificando os sectores e não apostar apenas na exploração do carvão.

Destacou ainda a realização de fóruns de negócios, que permitem a interação entre os empresários, como sendo um dos mecanismos para a dinamização das trocas comerciais entre os dois países.